sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Coelho empacado



A pedido da Aeronauta:

Fiz o primário em Nilo, entre 64 e 67. Num ano aí no meio, festa na cidade, desfile nas ruas, os meninos engalonados esperavam ano para participar; era época boa de se mostrar pras meninas e conseguir uma "namorada". Entre aspas porque nem nos tocávamos mas até as brigas eram intensas, por intermédios das "cocadas", os leva-e-trás. Bilhetes, olhares, presentinhos, desfile no jardim, meninos numa direção, meninas noutra pra se darem de cara. À noite, festa no salão nobre da Prefeitura. Fui escolhido para o número dos coelhinhos, eu, Tonga Netto e Eleíza. Fantasia horrível, de pelúcia, quente como o inferno, pesada pra ver o caco, umas orelhas enormes, pesadas, com armação de arame que teimavam em me cair sobre os olhos, repuxando os cabelos atrás; bolota vermelho de batom vagabundo no nariz, bigodes ridículos agarrados nas bochechas, a lápis de sobrancelhas. E a música? - "De olhos vermelhos, de pelos branquinhos...". Um horror. Na coxia, dei tilt. Não entro! Professora Dinah me deu um empurrão que já entrei dando uma cambalhota. Eleíza empacou, agarrada nas cortinas, com o nariz cheio de bolinhas de suor. Tonga Netto me seguiu de susto. No empurrão em Eleíza, quase finalizando o numero, ao som de "-...dou mil cambalhotas", demos as ditas e o fundilho da minha fantasia abriu. Na primeira fila do auditório, minha namorada. Nunca mais nos falamos. Hoje passa por mim e, mesmo sem falar, consigo ver um risinho disfaçado entre dentes. Tonga Netto foi morar em Gandu e Eleíza até hoje sua no nariz e briga quando lhe chamam de coelho empacado.

8 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Fantástico, Coelho Empacado. Pior são as obedientes que entram para recitar e na hora H se urinam. Não fui eu pois nunca me deram a chancha de subir ao palco (nem era palco era uma porra de uma "área coberta" no meio do quintal) na maledeta escola da miséra da dona Helena Matheus.

Maíra disse...

rarararrara !! Moral meu pai !! Essa foi fodaaa !!Vergonha alheia !!! bjs

Edu O. disse...

Que bom escolher você para findar as visitas blogganas. Depois do caração apertado no meu, passando por Maria e Miro, venho rir com você. Obrigado.

Judith disse...

Pois eu faço minhas as palavras de Maria. Fui rejeitada até na peça Dona Baratinha e João Ratão.
E é bom saber de sua coleção de namoradas e amigas esquisitas.

Luli Facciolla disse...

Coelhinho???? E ainda empacado?????
ahahahahahahahahahaha
Como não rir?!

Nem imagino essa cena!
ômeudeus!

Beijos!

Nana disse...

logo você, pai?
hahahahah...vergonha alheia II!

Meninha disse...

Pôxa, nunca participei de uma peça de escola, acredita?!

aeronauta disse...

Oh, Bernardo, também cheguei atrasada, do interior, para morrer de rir com sua história. Consegui visualizar tudo: coitado do coelhinho! Engraçado demais! Abraços.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas