domingo, 15 de março de 2009

13 de março



Passei o 13 de março em branco, notaram? Nem tive coragem de escrever. Ao contrário de sempre, fiquei triste.
Fiquei mais velho do que meu irmão mais velho, Eduardo, assassinado em 2007. Ele ficou com 55 anos e ontem fiz 56. Não podia. Não devia. É contra a natureza, e ele devia ser sempre mais velho do que eu. Me sinto como se estivesse traindo um acordo que fizemos na infancia. Dá vontade de perdir perdão por envelhecer sozinho.

carnaval de 57:eu e eduardo. foto de meu pai, numa rolleyflex.

7 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Primo, tentei falar com você no dia 13 e não consegui. É isso aí. Pensei que somente eu vivia essa agonia de ficar mais velha do que minha mãe. Ao fazer 47 anos tive a certeza de que ali morreria, como poderia ser mais velha do que a mãe? Farei no próximo mês: 61!

aeronauta disse...

Como a vida pode ser pungente assim? Seu texto me deu vontades de chorar.

Chorik disse...

Lamento dizer-te: nós não envelhecemos, evoluímos. Apenas o corpo envelhece. Assim posto, teu irmão continua evoluindo. Portanto, nada de retardar teu crescimento. Ou vai querer ficar para trás?

Nilson disse...

(silêncio)

Luli Facciolla disse...

Doeu no meu coração...

Beijos

Marcus Gusmão disse...

Ia falar alguma coisa mas, caro amigo, "se esqueci"...Deixo um abraço.

Meninha disse...

Pior do que ler foi ter escutado essas palavras, minha garganta está com aquele nó que teima em não sair.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas