terça-feira, 16 de setembro de 2008

Maria, carnaval e cinzas.


Minha primirmã Maria Sampaio é conhecida por sua, digamos, pouca coordenação motora. Quase uma paralítica cerebral. Já vi criancinhas melhores.
Carnaval dos anos 70, Praça Castro Alves ( sim, jovens, o babado acontecia lá). Pode parecer pouco provável mas eu e Maria bebíamos todas, nos bons tempos. No sábado, exageramos. Eu, de minha parte, posso contar a extravagância: tomei um porre de loló na carçola de uma transeunte da praça. Ainda bem que aquele troço, o maná dos deuses, era também desinfetante. Pedi e a moça tirou a calçola em plena barraca e alí mesmo encharquei a dita e a moringa! Maria, ao lado, nada via e nem podia, ocupada que estava em encher a própria cara. Coisa rara, embebedou feio. Apesar do tumulto, sempre aparecem os ensinamentos:
-"Levanta a cabeça!"
-"passa gelo nos pulsos!" - como pode alguem pensar que isto resolve? só bêbados.
-"mete o dedo na garganta e bota pra fora o excesso!"
Desta ela gostou e aí, fudeu! deu-se o embate entre a mulher e a bêbada, entre a bêbada e a paralítica cerebral. Fatal. Sentada num tamborete, alguem segurando a cabeça pra não vomitar nos peitos, e com o dedo em riste, virou na direção onde ela imaginou estar aboca aberta e...Poft! enfiou o dedo no olho, e caiu pra trás já gemendo. Nocaute. Carregamos para o QG, morta.
No dia seguinte, domingo, acordamos Dr. Humberto Castro Lima que gentilmente abriu o Hospital de Olhos do Canela para consertar o estrago que a unha fez: Maria havia arrancado um pedaço da córnea, às gargalhadas. Fim de carnaval, para todos. Daquele, bem entendido.
O olho? taí, bem verde, bem lindo, pra confirmar a estória.
foto de luciano? arquivo de maria sampaio

13 comentários:

Personagem Principal disse...

Gargalhadassssssssss! Amo resenhas de carnaval.

Marcus Gusmão disse...

Sai do sério na sala de um trabalho novo. Perco o novo emprego mas não perco a gargalhada.

miro paternostro disse...

quantas vezes vc cheirou loló nas calcolas? Carmeninha me contou uma estória parecida com essa. também carnavalesca, também na PCA, mas na qual você dividia fraternalmente a calcola com seus irmaos. verdade???

miro paternostro disse...

...do acidente com o olho de Méuris num tinha nao!

maria guimarães sampaio disse...

ooooi! agora desengasguei, enxuguei as lágrimas e segurei a barriga da dor de tanto rir, gargalhar!
Bernardo arrasa! Geeeente! eu sei a história de tanto se contar na família (eu mesma... só lembro das dores) é REALÍSSIMA e BEM CONTADÍSSIMA.
Mena precisa, urgente, aprender a blogar.

Maíra disse...

Carnaval na Praça Castro Alves, rararar (mais uma pista do quanto vc é velho pai !), cheirar loló em calcinha, inda por cima de uma desconhecida (urg!!)!! Devo confessar que cresci ouvindo esta história, mas nunca soube que a protagonista era tia Maria Sampaio (quem mais poderia ser!!?)Já dormir bêbada encostada em pneu de carro, nas rodaviárias da vida (gastei todo dindin com birita), na porta de casa e até pendurada em um tanque de lavar roupa, mas arrancar um tampão do olho é demais !!
SOU MAIS VC TIA !!!
Tenho tanta inveja das suas farras !

Luli Facciolla disse...

Maíra tem razão. Carnaval na PCA... Hum... Dos tempos... ehehehe

Morri de rir com essa! Maria caprichou no machucado de carnaval! Enquanto todo mundo termina com bolhas nos pés, joelhos ralados ou marcas roxas, ela perdeu um tampo do olho! Essa foi demais!

Beijos,

Luli Poppy!

aeronauta disse...

Mas menino... que babado, hein? Depois dizem que os jovens de hoje é que fazem loucuras!

Edu O. disse...

essa foi a que mais gostei e me identifiquei. sou mais fã ainda de Maria!! Bravo!!!

Meninha disse...

Meu Deusssss, estou com dor no olho só de ler a história. Foi a mais engraça e dolorida...

Janaina Amado disse...

Hahahaha... mas eu... hahaha... eu não... hahaha.... consigo... hahahaha.... parar de rir!
Bernardo! Agora me sinto devidamente vingada de uma certa roda-gigante, hahaha! A história é engraçadíssima, e você a contou muito bem. Viva Maria!
Hummmm ... Loló em calçola, é? Miro, como foi isso de uma calçola só repartida entre irmãos?

maria guimarães sampaio disse...

Melhor foi Mena, pegou uma camiseta por ali, abaixou-se e fez da camiseta penico. No que mirou, apontou, para jogar balaustrada abaixo um folião qualquer bagunhou e tomou a prise pensando ser loló!

Luciano Freitas disse...

Bernardo, que bom lhe encontrar por aqui. Médico, contador de estórias!! Tb fui daquele tempo. Lembro-me da cegueira de Maria & outras estórias.

Najú comendo um carinha na capota de um simca. Oh, yeah!!!!

+ uma: uma bicha vestida de homem aranha verde limão pula no meio de uma briga entre duas bofonecas, e põe ordem no veadeiro.

Assim era a PCA.

Luciano

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas