terça-feira, 22 de julho de 2008

A volta da que nunca foi




Ontem filei o blog. Foi sem querer. Tambem, era segunda-feira, dia que , aliás, devia se chamar nada-feira, nenhuma-feira, zero-feira, sem-feira. Diazinho chinfrim. Folga no trabalho, fui convidado a viajar pelo interior do município com o amigo candidato a Prefeito, num povoado em que eu lhe posso transferir muitos votos, dos tempos em que era eu o pré-candidato. Bom pedir voto pro outros, bom estar distante da função, mas vou ajudar quanto puder. Como da outra vez, estrada ruim, pior que a outra, lama, chuva, atoleiro, ponte-que-caiu, puta-que-pariu, que lugar esquecido. Um cafezinho aqui, uma asinha de galinha acolá, um conhaque Dreher, que ninguem é de ferro. Este entra em homenagem a meu pai que sentia o sabor da uva nesta bebida! Grande figura, o meu pai. Também ele foi Prefeito e não gostou. Me disse que, se dependesse dele, filho nenhum andaria de moto ou se meteria em política. Fiz as duas coisas. Benção, pai. Voltamos muito tarde, mais de meia-noite, perdi a data pro blog diário. Foi assim que faltei. Voltei com sono, madrugada e, desta vez, não pude ver as Alitrinas. Hoje outro amigo me soprou que aquela árvore que tanto gosto se chama, na verdade, Eritrina ou Mulungu ( Eritrina falcata)! Fiquei arrasado, já estava intimo do outro nome; foi como se tivesse descoberto que me chamo Agamenon. Apesar do nome, aquela árvore será a mesma pra mim. Ela nunca foi Alitrina mas vou continuar a chamar assim, minha Alitrina não pode ser chamada de Mulungu. Mas o que importa mesmo é que não tive o encontro com elas naquela noite...

7 comentários:

aeronauta disse...

Obrigada, Bernardo. Passo todos os dias aqui também, e adoro seus textos. Um abração.

Maria Paternostro disse...

Concordo com vc Bernardo, gosto mais de chamá-las de Alitrinas. Bjs

miro paternostro disse...

concordo plenamente. segunda-feira: dia de nada! alitrina, o nome combina mais que mulungu, que nada tem a ver com a beleza das alitrinas. muito prazer!

maria guimarães sampaio disse...

ó pessoal! cheguei atrasadona!!! Alitrinas assim, quando estão róseas, belas, no pé de alvre. Depois, secam e não ficam menos bonitas não, diferentes. Minha mãe e Dinidnha faziam arranjos de folhagens em enormes cacos e usavam muito... mulungu (sêco). Ficamos assim? na alvre: alitrina. No caco: mulungu.
O máximo: fazer campanha PRUZOUTROS!
Escreverei depois sobre moto.

Maíra disse...

Pai seu filão!! Como vc pode fazer isso comigo!! Passei ontem o dia todo atualizando seu blog para ver se já havia algo novo e nada.. a noite toda e.. nada !! Tudo isso por causa de que? Uma asa de galinha.. uma dose de "dreieeerrr" (só faltou um "sinuque") e uma planta que vc nem sabe como vai chamar !! Meu leite podia ter secado sabia?
NUNCA MAIS FAÇA ISSO!!

obs: cê tá sabendo que sábado (26-07) é o dia dos avós ? UUmmmm, primeiro dia do vovô em !

bjs

Carmena Guimarães disse...

Sobre as alitrinas não tenho nada a dizer...já disseram tudo!
Agora eu sei a quem puxei no quesito "gostar de conhaque", adooooro!

aeronauta disse...

Ah, ah, ah! Dei muita risada. Conta no blogue essa história do aniversário com pijama e cachorro para todo mundo rir também! Adorei!

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas