terça-feira, 27 de abril de 2010

Bandeira Branca





Fim do pugilato; joguei a toalha. Retiro-me com a elegância do lutador que reconhece maior eficácia nas armas do adversário. Sangue foi prometido e quem tem, mesmo sadio, tem medo. O japonês aí veio como um kamikase e eu não tenho o menor talento para a tragédia, como a do jovem Werther, ( meu Deus, como posso saber disso? ) que estourou os miolos com a arma trazida pela mulher que amava; e ainda poupo os demais leitores de seguirem o funesto exemplo daqueles que se impigiram o mesmo fim ao lerem o livro de Goethe. E olhem que os sofrimentos do jovem Werther eram os da alma, não uma prosaica hemorróida trombosada.

Fim.

"Ao vencedor, as batatas! "

bandeira em amigosdoencontropelapaz.com

10 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Que pena, eu estava gostando. Gosto de ver uma peleja assim, verbal. Sem tragédias, sem Mishima, sem Goethe. Vcs estavam indo tão bem, só no verbo para nós nos divertirmos.

aeronauta disse...

Não termine esse duelo não, homem, que a platéia gosta é de sangue!

Edu O. disse...

mas que tava bom, tava!

I.Moniz Pacheco disse...

Os vencedores somos nós que nos divertimos horrores.
Pra mim deu empate técnico!

I.Moniz Pacheco disse...

Os vencedores somos nós que nos divertimos horrores.
Pra mim deu empate técnico!
A palavra de hoje: mablog. Acredita?

Chico Muniz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chico Muniz disse...

Dr. Bernardo foi inteligente, a julgar por um ditado da sabedoria popular: quem come pedra sabe o * que tem. Louvação a ambos pelejadores.

Ricardo Dib disse...

Háa, que pena que essa tão gloriosa batalha tenha chegado ao fim...

Abraço.

Janaina Amado disse...

Nossa, adorei esta peleja!

Chorik disse...

Foi realmente muito divertido. Mas eu vim para dizer que tua filha e neta são lindas. Parabéns!

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas