sábado, 10 de abril de 2010

Chove, chuva.


Depois de longo e tenebroso verão, volta a chover. Chuva abençoada, que à vezes exagera. Ninguem merece alagamento, desmoronamento, queda de barreiras, mas a chuva é assim mesmo, não obedece a pedido nem promessa, por isso ela cai mais aqui, menos acolá; uns com tanto, outros com tão pouco. Vá entender A Força.
Fiquei chocado com as mortes pela chuva no Rio e Niteroi. Mas foi por causa dela mesmo? Por que bem ali ao lado daquele morro, a 100 metros, caiu a mesma quantidade de água e nem abalou Bangu?
Enquanto isso, me recolho na varanda para apreciar a tempestade. Sou absolutamente apaixonado por tempestade; quando criança, não tinha medo; crescido, caia no mar do Morro junto com o temporal, para desespero de minha mãe que forrava espelhos com medo de raio.
Hoje, egoista, seco e agasalhado, traço um acarajé só com camarão e olho pela janela. Está chovendo e eu, feliz com a chuva.
foto captada da web, sem crédito

9 comentários:

Maria Muadiê disse...

Também adoro raios e trovoadas e água.

Luli Facciolla disse...

Também adoro temporais!



PS: Palavra de verificação: PROBAR; é pra lá mesmo que eu vou pq Jota vai tocar! hehehehe

Edu O. disse...

não gosto de temporaisnem para dormir.

com uma palavra dessa (iremo) tem que ir mesmo hein? aguardo com muita felicidade. abçs

Gerana Damulakis disse...

Lembra daquele comercial que dizia que se vc não usasse era porque gosta mesmo é de chuva. Era um comercial de bronzeador. Eu estava no início da adolescência e odiava praia, peguei a frase para mim.

Chorik disse...

Com chuva ou sol, meus parabéns a Luana!

Marcus Gusmão disse...

Dois.

Nilson disse...

A chuva me deixa feliz. Mas o sol também! E parabéns pra Luana!

Lidi disse...

Gosto de chuva, mas só quando estou em casa, deitada, lendo um livro ou assistindo a um filme. Ah, sim, e quando estou agasalhada, olhando a tempestade pela janela e comendo acarajé. (rs) Abração, Bernardo.

I.Moniz Pacheco disse...

As tempestades exercem em mim um sentimento antagônico: beleza, força, medo, curiosidade.
Minha mãe também cobria os espelhos e reclamava porque ficávamos na janela a olhar os raios.
Chove, chuva. É preciso. Mas prefiro o sol.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas