sábado, 9 de maio de 2009

Perfume


Tenho uma excelente memória olfativa. As outras, o alemão anda tentando apagar. Veremos. Li o ultimo Monólogo de Edu escrito nas Madrugadas, que me fez lembrar " do tempo em que éramos lindos"*. Lembrei da escola primária em Nilo, ao recordar o cheiro da merenda: pão com manteiga e açucar na merendeira de plástico. Já cheirei pão com manteiga e açucar sem o plástico e não é a mesma coisa.
Das lembranças de quando "era bem lindo mesmo", a da primeira paixão me veio com o texto de Edu. Devia estar com sete, oito anos porque com dez deixei Nilo pra estudar na Bahia e já estava no segundo e definitivo amor, de tantos outros que vieram. Minha namorada, em quem jamais encostei um dedo sequer, usava um perfume que a identificava a quilometros. Hoje percebo que minha função como namorado, era catar seu cheiro onde passava, tocava, pisava. Domingo, da porta da Igreja já sabia se estava lá. E o ódio cheio de ciúmes quando sentia aquele cheiro em algum amigo? Três dias sem dormir. Até hoje, manopla de bicicleta tem aquele cheiro, daquele perfume que ela deixou na minha.

Passei anos com a lembrança daquele perfume. Cafunguei cangotes à toa; pra que, não sei, acho que só pela lembrança. Se tornou uma obsessão reencontrar o perfume.

Dia desses, numa prosaica compra de pregos para pendurar uns quadros, uma senhora, certamente da roça, com seu lencinho na cabeça e sandálias havaianas, encostou em mim. A labirintite voltou. Era ele, o perfume, sem a menor dúvida eu o reconheceria em qualquer vida. Fiquei ali, nem olhei pros lados, muito menos perguntei alguma coisa. Só fiquei ali, por quase cinquenta anos, olhando pra outro lugar...
* expressão cunhada por Maria Sampaio e Luciano Freitas para se evitar o horrível " antigamente..."
foto: perfumedegardenia.com.br

8 comentários:

Renata Belmonte disse...

Bernardo,
Que texto lindo! Tb tenho uma ótima memória olfativa.
Vou ficar sumida por um tempo, mas volto com surpresinhas para vcs!
Bjs

maria guimarães sampaio disse...

MA RA VI LHO SO !!! TEXTO BELIIIIIISSIMO.
Perfume de gardênia para ilustrar me leva ao Chame-Chame e seu serviço de alto-falante. E ficamos todos bonitos aqui e agora!

Maria Muadiê disse...

Bernardo, delicia de texto, muito lindo.
Também sou apegada a cheiros.
um beijo

Chorik disse...

Cafungou cangotes à toa? Sei. Mais um belo texto seu, como alías é o de Edu.

Nilson disse...

Puta texto. Essa labirintite com o perfume da velha senhora é pra constar num romance. Dá também uma bela cena de filme, pra durar "uns cinquenta anos". E depois ficam desdenhando dos blogs! Duas coisas mais:
1. Falar em lembrança, lembre-se de ir rezendo pro Bahia subir para primeirona. Começa hoje a agonia!
2. A palavra de hoje aí embaixo: ovulas.

Edu O. disse...

Que bom ver os desdobramentos de nossos sentimentos, vê-los tocando os amigos. Teu texto me fez lembrar da minha primeira paixão com 9 anos. Escrevi até carta, mas a irmã dela roubou e acabou com a minha fantasia de declaração.

Nana disse...

que bonitinho, pai!
tembám tenho uma otima memória olfativa! acho que veio de vc...
vc também tem um cheio só seu, que qdo sinto, sei que vc chegou!!!
beijinhos

aeronauta disse...

Nilson está certo, página de romance. No texto lemos sua alma sensível e todos os nossos destinos comprometidos com o que nos trouxeram um dia, pela primeira vez, os sentidos.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas