quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Eduardo


-"ItálicoOh, amigo, se esqueci!"

Devíamos ter quatro ou cinco anos. Cada um corria numa direção ao redor da mesa e nos encontrávamos do outro lado; um abraço apertado e repetíamos esta frase que ninguem sabia porque. Caíamos na gargalhada, e começava tudo de novo. Os adultos se cansavam, a gente também mas no outro dia estávamos lá, eu e Eduardo: -Oh, amigo,se esqueci, até se cansar novamente. Não consigo mais lembrar desta frase sem chorar, nomo agora.

11 de dezembro e meu irmão não está mais aqui e o dia se transformou no dia mais triste; não há mais aniversário. Eduardo está morto e me parece impossível escrever estas palavras: Eduardo está morto. Foi assassinado no ano passado enquanto dormia, em sua casa em Valença. Relutei tanto em escrever sobre o assunto mas a tristeza tomou conta e não consigo pensar em mais nada. Não sabemos até hoje quem o matou, nem a polícia. Maria acha que foi coisa de mulher. Tambem acho. Mulher mandou mas pelo menos dois homens atiraram. E ainda tentaram nos matar tambem, deixando a arma junto ao corpo para simular suicídio. Suicídio uma ova. Foram três tiros. Ninguem se mata com três tiros. Não sei o que se passou no seu ultimo momento e me torturo por isso. Não queria que o tivessem morto. Agora é tarde. Ele era um ano mais velho e agora eu vou ficar mais velho do que ele. Não é justo. Não há vantagem em não envelhecer. Nós tinhamos combinado envelhecer juntos e ver nossos netos brincarem. Não conheceu minha neta. Ontem estive com os netos dele e senti tanta pena. Dele. Queria ensinar a Geovana e Iara a se abraçarem longamente e dizerem rindo: -"Oh, amiga, se esqueci." E eu e ele ficarmos olhando, bestas, sem entender nada...

17 comentários:

aeronauta disse...

Puxa vida, como não chorar diante de um texto tão triste e tão lindo?

Renata Belmonte disse...

Ainda agora comentei com minha mãe o quanto sou precária quando o assunto é a morte. Estou muito tocada com o seu texto, também chorei durante a leitura. Espero que Deus abençoe toda a sua família. E que sua netinha seja muito amiga da prima.
Receba meu abraço.
Renata

Marcus Gusmão disse...

Caro Bernardo,
um abraço fraterno.

maria guimarães sampaio disse...

Bernardo,
Chorar de saudade mas ter Eduardo dentro da gente como uma presença boa, viva. Com certeza, ao alguém falar sobre Eduardo, jamais quem o conheceu dirá: "Oh, amigo,se esqueci". A frase será sempre de vocês dois.
Beijo meu primoirmãoamigo, um abraço cheio de bemquerer. Maria

Chorik disse...

Muita luz nos vossos caminhos, no teu e no de Eduardo, que por certo um dia ambos irão brincar novamente ao redor de uma mesa. Tenho tanta certeza disso que gostaria que ela aliviasse um pouquinho tua saudade.

aeronauta disse...

Desculpe, Bernardo. Sou tão passional. Como fui escrever logo de cara o que senti? Quero que você receba o meu abraço amigo e meu afeto.

Mãe de Iara disse...

Se tem existe um pesar dentro de mim é o de que minha filha não irá conhecer Tio Dudu !! Nós nunca o esqueceremos !!

Meninha disse...

Não sei o que falar, só choro...

miro paternostro disse...

lí seu blog hoje cêdo como sempre o faço, mas me deu um nó na garganta e deixei passar um tempinho pra vir aqui de novo. impossível imaginar a dor e a falta que vocês devem ter sentido. principalmente em se tratando de uma perda assim, brutal, pelas mãos de outros, covardes.
difícil tentar dizer qualquer coisa aqui agora.
abraços,
m

Jú(liana) disse...

Bernardo ... só me resta dizer que o amor, respeito, união que existe entre vocês é pra sempre.
Quando penso na família Palmeira Guimarães tenho o significado pleno do que é uma família!
Eduardo era uma figuraça ... tenho certeza q ele, onde quer q esteja, não deixou quebrar essa "corrente" que liga / uni esses irmãos porretas! Afinal, ele nos deixou esses filhos e netos maravilhosos q são parte dele nas nossas vidas!
Te AMO Bernardão!!!Mistura de primo e tio p mim ... independe estar perto, longe ... não importa ... essa familia PALMEIRA GUIMARÃES é minhaaaaaaaa tbem!!
Vc é um grande coração!!!!!

Lua disse...

Sem palavras.

Nilson disse...

O que dizer. meu velho? Receba o meu abraço. Muito comovente esse texto.

Edu O. disse...

quem não chora?!

Janaina Amado disse...

Só agora li este seu texto, Bernardo. Muito comovente. Um grande abraço solidário para você.

Ricardo Dib disse...

Esse é o tipo de situação em que não sei mesmo o que dizer. Só você mesmo sabe o que está passando.

Tudo de bom.
Abraço.

Menina da Ilha disse...

Estou lendo tudo com muito tempo de atraso. Senti daqui a sua tristeza. Também passei por essa dor e demorou muito tempo para eu consegui falar sem chorar. Mas o tempo realmente nos ajuda, você vai ver. Um abraço.

fofoca disse...

Tio
Não consigo te dizer nada. A saudade é grande e doi muito. Bjs te amo

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas