domingo, 13 de dezembro de 2009

Maracás


Voltei a Maracás depois de 26 anos que de lá saí. Não fui fazer uma volta ao passado, apenas uma visita aos muitos amigos que lá deixei. E uma afilhada, Maíra, nascida em minhas mãos e batizada assim por causa da outra Maíra, a minha. Mas o passado voltou fortíssimo. Todo mundo me recebeu com um ...
"como está gordo!",ou
"cadê Morena?"
"João Paulo ainda é loirinho?"
A casa que construí, fui convidado pelo proprietário a rever; me emocionei de tremer as pernas. O Posto do Funrural onde fazia partos com Detinha que não mais está conosco, a grande falta que me fez a visita. Mas lá estavam todos: Dolores, Rosilda ( teve de sair correndo pro casamento de sua filha Luana, assim chamada também por causa da minha), Zé, Rosilva, Diva, Maribete, Zelina e meu anjo-da-guarda, o compadre Lucas. Todos ainda funcionários da Saúde, fazendo o que fazíamos lá atrás no tempo. Belíssimos profissionais, com quem tenho tanto orgulho de ter trabalhado.
Gostoso dejà vu. Só espero não demorar mais 26 anos para voltar.
Ah! senti falta do frio, disseram que não há mais. Acreditam agora no aquecimento do planeta? depois dessa eu não tenho mais dúvida.
eu e maíra, a afilhada; a cerveja não me deixa lembrar que fez a foto, em 12.11.09

4 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

até bebeste cerveja? Foi bom.

Chorik disse...

Quem por onde passa faz amigos sempre encontra as portas abertas. Queria também poder viajar pelo meu passado.

Maira Rocha disse...

Pois é a cerveja, também me deixou vermelha como um camarão.....
Que fim de semana maravilhoso viu... adorei lhe ver, gosto muito de vc.... tomara que não leve tanto tempo a voltar. Irei te visitar tbm, não podemos deixar alguns km nos afastar.... foi tão bom o encontro....
Beijos

Nílson disse...

Maracás é caminho de casa pra mim!

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas