terça-feira, 7 de abril de 2009

Sobre cada um


JUAN TRASMONTE


Sabem aquela foto do Juan do blogue NemvemQuenaotem? esqueçam. Juan nem de longe se parece com o da foto. O de verdade é tudo mais. Muito mais jovem do que aparenta, muito mais interessante, inteligente, bem informado e sensível do que deixa passar em seus escritos, fala um português corretíssimo com sotaque carioca - a unica bandeira é não saber pronunciar o "ão". Mas nenhum estrangeiro consegue. Ponto pra Juan.
Ligou pro hotel deixando seu numero. Liguei e foi logo festa. Marcamos café às cinco, por sugestão minha, no Grand Café, na Florida com Córdoba. Tem um saxofonista lá todo dia, Javier, já meu camaradinho, que atacava Manhã de Carnaval na chegada de minha pessoa. Chique no úrtimo! Na travessia da rua já nos avistamos, ele um pouco mais pontual que eu. Muito simpático, abraços de velhos amigos. Cada um contou sua vida desde pequenininho. Café, papo, um Marlboro atráse do outro, o portenho. Me estende um envelope com dois belíssimos regalos: um CD de tangos eletrônicos para mim e outro de música andina para Maria Sampaio, com dedicatória pra lá de carinhosa. Eu e Maria jamais ouviríamos nossos discos, roubados com minha mala. E eu nunca aprendo a ser educado, gentil e ter boas maneiras. Fui de mãos vazias, passei vexame.
Juan sabe tudo de música brasileira. De música. Trabalha em uma gravadora. Me encantou com seu conhecimento, posto com a simplicidade que só é permitida aos muito generosos. Foi generoso com minha ignorância. Não conheço música como o gringo.
Nos despedimos com outro abraço de e-amigos. Falamos do trem, de nossa falta. Juan promete nos visitar. Que seja breve, hermano. Fiz uma foto dele, perdida com o celular roubado. Mas é como o descrevo aqui, não o que está na foto do blogue.
No episódio do roubo, foi perfeito: prontificou-se de imediato a me ajudar, o que nem foi preciso. No ultimo telefonema pra me despedir, ao saber da perda dos CDs, disparou: mando outros por Juliana.
Este gringo é um porreta! Quase um brasileiro, João detrás do Morro
foto do blogue naovemquenaotem,de juan trasmonte

8 comentários:

miro paternostro disse...

um presente assim de cane osso e alma ninguém rouba!

Jú(liana) disse...

Marquei com Veroca quinta-feira!
Vc e Maria tratem de providenciar presentinhos q não sou mulher de chegar de mãos vazias!!!!!
Que BOM vc chegou!!!!!!
Bjos

maria guimarães sampaio disse...

Primeiro de tudo minha tristeza pela perda das fotografias (e tudo mais).
Vou mandar meus livros por Ju para João Detrásdomorro (adorê!).
Já quase me dá vontade de, repentinamente, comprar uma passagem e ir para bois nos ares com Ju.

Chorik disse...

Muito mais jovem do que aparenta foi um elogio? rs
Agora, falando sério, é sempre bom encontrar com seres humanos de verdade. Como Juan, a quem não conheço mas já admiro.

Abraços

meu infinito particular disse...

(Comentário-resposta)
Afinal: ONDE ESTÃO OS HOMENS DESTA TERRA,MEU DEUS?!
Hahahahahahahaha...

Juan Trasmonte disse...

Caraca, Doutor! Assim você me deixa no vale da semgracice!
Devo dizer que nada custa ser generoso quando a pessoa que se tem de corpo presente e tudo de bom que a gente imaginou e muito mais. Eu não sabia se ia encontrar o Guima sozinho ou com quem, e o com quem resultou ser uma tribo pra lá de gentil.
Eu sai de lá feliz pelo encontro e porque percebi que vocês estavam curtindo muito essa viagem. Assim fiquei agoniado quando Bernardo me ligou na segunda de manhã. A gente sente essa vergonha como se ladrão tivesse bandeira.
Mas os discos furtados serão a desculpa para novos encontros.
Jú: agora nós temos uma missão que é devolver os cd's aos seus destinatários naturais.
Muito obrigado, Bernardo, por ser um boa praça doca.
Abs.

aeronauta disse...

Que bom que você voltou!

Juan Trasmonte disse...

Ah, sim! Adorei João Detrásdomorro. Vou usar de pseudônimo para escrever letras de samba

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas