sexta-feira, 10 de abril de 2009

O primeiro Tango em Buenos Aires


Por una cabeza
de un noble potrillo...

Ontem, saindo de Ituberá com destino à Bahia, ouvi na rua em alto volume uma música: arrocha! Não me conformo em ouvir merda. Perguntei ao coordenador de programação da nossa rádio local por que tanto arrocha e a resposta foi a mais óbvia: -é o que o povo gosta. E eu retruquei: -e vocês oferecem outras músicas? -Não, porque a gente "sabe" o que o povo quer.
Arrocha ainda não atravessou fronteiras do sul. Nos cinco dias que passei em Buenos Aires, tirando Ivete no Aeroporto avisando que levantou poeira, só ouvi música bonita em todo canto que andei. Principalmente tango.

Adoro tango. Aprendi a gostar com meu pai que se gabava de ter dançado muito na juventude, e curtia Gardel. Aprendi a ouvir Gardel e seus tangos pungentes, droláticos e macabros. Tinha mesmo a fantasia de ouvir tangos em B.A. E se ouve em todo canto. Dos lindíssimos de Piazzola ao meu preferido: Por una cabeza, de letra do brasileiro Alfredo Le Pera. Fui a um show de tangos. Confesso que meio arredio com esta história de show pra turistas, mas fui. E adorei. Mais uma vez, tirando os desnecessários cavalos empinando no palco no início do espetáculo, as piadinhas sobre Lula e a discutível idade das dançarinas, veio uma orquestra de tangos, com um maestro de 81 anos, lindo, cabelos alvíssimos, marcando com a mão trêmula: Por una cabeza, A media Luz, Mi Buenos Aires Querido e o repertório de Astor Piazzola. Ouvi tango no nascedouro; aprendi que o piano avisa que vai ser tango; o bandoneon marca o compasso inconfundível mas é o violino quem faz chorar. Tango tem de ser ouvido com vinho na mão, a amada ao lado e uma inesquecível tristeza, seja ela de que ordem for. Se dor de amor, melhor.

Deu uma vontade enorme de ouvir Dalva de Oliveira. Ou Elizete Cardoso.

foto de uma camiseta comprada por nana na rua de b.a.

6 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Além do tango, fado! Já nem preciso do vinho. Ouço e choro. Choro e ouço.Retiflauer mi tristesse...

Nilson disse...

Tb adoro tango. Em BA, quando fomos nós aqui de casa, achamos caro o show pra turista. Acabamos descobrindo uma espécie de pocket show no subsolo do Café Tortoni. Era um grupo do cacete e tinha encenação e turista tb, mas em um tom mais intimista. Tb me impressionei mais com este: "por una cabeza..." (acho que vou tomar uma taça de vinho!!!)

maria guimarães sampaio disse...

Primo, já consertei o azul de Raulinda no original mas não caio na asneira de mexer em fotos do blog feito com algumas, emerdalha tudo.
Já notou que dos primos todos só vocês palmeiraguimarães e nós guimarãesampaio é que perdemos pai e mãe? A todos os outros restou uma perna (bem, considerando Célia como mãe da zié-zié).

Renata Belmonte disse...

Eu que o diga...(rs)
Adoro tanto Tango que quero aprender a dançar. Você conhece um grupo musical chamado Gotan Project? É Tango Moderno da melhor qualidade.
Bjs

Bernardo Guimarães disse...

renata:
juan me presenteou com um cd de tango eletronico mas nem cheguei a ouvir, o ladrão roubou com o resto de minhas coisas em b.a.
ele me avisou que vai mandar outro por juliana que foi pra lá hoje. estou aqui na espera. depois te conto
bj

Juan Trasmonte disse...

E se Deus e os orixás quiserem, amanhã ou depois de amanhã vou encontrar a Jú e vou colocar nas mãos dela o cd de tango eletrônico para que seja um bom pano de fundo na hora de você sentar pra escrever.
Isso se nenhum amigo do alheio interfere de novo entre emissor e receptor.
Emocionante crônica a tua, doutor. E o detalhe da foto do modelito que a tua filha comprou
Abração

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas