quarta-feira, 1 de julho de 2009

Goiamum*

É isso mesmo o que vocês estão vendo: um goiamum exibido em sua casa. Mais uma imagem inusitada de beira de estrada. Cajaíba,Valença. A casa do goiamum fica acima das casas dos homens. É de ferro e de telha de primeira. Poste de PVC preenchido de concreto, suporte. À prova de terremotos. Pode chover canivete que o goia nem se abala. Não sei de que material é feito, se madeira ou fibra de vidro. É enorme, mais de metro de ponta da pata à outra. A puã é tão grande que engoliria o cachoro chato do vizinho. Ali deve ser um criadouro. Cria-se goiamum para engorda. Goiamum cevado é goiamum gordo. Há quem aprecie. Vera é louca por um goia. Quando vem pra cá, para antes em Marcio e traça quatro. Eu só fico olhando. Não gosto nem de ver o processo de quebrar goiamum no porrete e espirrar aquela aguinha fedorenta que só cai em cima de mim. Depois chegam as moscas. Tô fora. Há também os que não comem goiamum nem sob tortura, são os que acreditam que estes animais comem cadáveres, cavando túneis nos cemitérios. Por vias das dúvidas, prefiro siri. Ah, o caranguejo, acabaram por aqui. Aniquilaram. Exterminaram. Siri, só de encomenda. Goiamum, não; goiamum está ironicamente salvo da extinção. Criado, engordado, de casa nova mas o que o espera é uma panela. E as Veras da vida, vorazes devoradoras de goiamuns.
P.S.: * aprendi assim; alguns insistem em chamar guaiamum ou guaiamu. Infelizmente não encontrei um indio aqui pra tirar minha dúvida.


foto de bernardo em 30.06.09

9 comentários:

Janaina Amado disse...

Guaiamum (grafia segundo a dos índios xucurus, de Palmeira dos Índios, AL) aéreo, he he...

maria guimarães sampaio disse...

goia guaia...
toque os ossos que o amor é nosso! também não suporto o quebra quebra muito menos a fedorisidade.

Maria Muadiê disse...

já eu aprendi assim: se chamam guaiamum e comem cadávares nos cemitérios, daí que, antes da chatice da alergia, eu comia siri e caranguejo, adorava...mas os guaiamuns passavam batido.

O espantalho aí embaixo, quanta exploração! Acho que o autor da obra achou vc com cara de turista deslumbrado.
um beijo,
MArtha

miro paternostro disse...

Belmonte, a capital dos Güaiamuns (minha ortografia leva até uma trema no u) apresenta orgulhosamente desde alguns anos uma escultura enorme em homenagem aos güaiamuns de lá. eu adoro!!! mesmo com essas estórias de que seriam carniceiros, a carne deles é dílicia!!!

Chorik disse...

Gente, cês tão falando grego para mim. Nunca vi esse bicho, imagino o cheiro e já me dá ânsia. Esse povo que construiu não é muito normal, é?

Edu O. disse...

as vezes é bom dar um tempo e ver tudo de vez. a gente se deleita e o dia fica que é uma beleza só!!!! obrigado.

Nilson disse...

Não sou fã de caranguejo, que de lá esse bicho papa-defunto. Vôte!!!

Menina da Ilha disse...

Já comecei bem minha amizade com Vera. AMO GAIAMUN(chamo assim).Ás vezes quando vamos para a fazenda passamos por Sto Amaro só para comprar meus bichinhos. Como vinte em uma sentada. SOZINHA. Eu mesma mato e faço com a boca cheia de água.Quando termino, saio lambendo os dedos e segurando pelas paredes de tão cheia. Aeronauta morre de nojo.

marinab disse...

visite canguaretama RN,coma goiamum vendo o encontro do rio com o mar de Barra de cunhaú(ver CÃMARA CASCUDO) e depois ouse falar.ah e que gosta de carne humana é o siri.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas