quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Eu fui, 2º Ato


A Chegada:


A pirâmide do Rio Vermelho é o máximo. Manobrista na porta, sumiu com meu caminhão, celular/máquina fotográfica dentro. Na porta, D.Clara, beijos, abraços, menino-nunca-mais-te-vi, um monte de gente na fila. De longe, Nilson e Maria excitadíssimos. Marcus me recebe de braços arreganhados, dentes idem. Menina da Ilha me atocalhou, vem ver uma pessoa, era Aeronauta. Finalmente. O encontro, descrevo depois, agora é uma geral. Vera chegou, papo aqui e acolá. Os livros reservados, devidamente separados e já autografados. Eu achei bárbara a idéia, aliviou os autores, a fila, todo mundo. Meus livros, com dedicatórias especiais e ainda ganhei de lambuja um bilhetinho preso na contracapa, da outra prima famosa Renata Belmonte. Fez falta. Ela e Martha. E Miro e Chorik, e Lulli e todos os outros e-amigos. Revi e papeei longamente com a incrível e sempre zen, Ivonete. Foi um barato reencontrar Juliana e André. Guadalupe, linda. E Charlô, parece que dorme no formol: idêntico a 30 anos atrás! Cadê Janaina? cadê Janaina? Conheci Jana, também escrevo depois. O clima estava sensacional, com pessoas bacanas -vi umas duas chatas mas estas não ficaram para a pizza nem baixaram o astral que ficou lá no alto até o cisco. A pizza, compartilhada com as simpaticíssimas Emília e Soraya. Que beleza de pessoas, papo ótimo, humor no ponto! Nota dez para a festa. Disse isso a Marcus, que recusava qualquer insinuação à sua responsabilidade no brilhantismo do evento. Tudo bem, acho mesmo que Maria e Nilson tem brilho, muito brilho pra segurar uma festa daquelas sozinhos mas você, Marcus, me parece o abajur que fica entre o par de jarros no aparador da festa.
foto da livraria tomdosaber: vsvmagazine.com.br

10 comentários:

Renata Belmonte disse...

Passei toda a noite do lançamento pensando em como seria bom abraçar todos vocês de uma vez só. Falei com Jana pelo computador e deu para receber um pouquinho do afeto que vocês dividiram no evento.
Acabei descobrindo: de certa forma, eu estava lá. Nos meus livros, no bilhetinho e na lembrança de vocês.
Só isso já é uma grande alegria.
Bjs

maria guimarães sampaio disse...

Primaldo, lembra de meus porres homéricos e os muitos dias de ressaca? Apois, essemenino... alegria, bem-querer, uma festa daquelas não precisa de bebida pra me deixa de porre ou de ressaca até hoje. Completamente alela de tanta felicidade. Beijos

aeronauta disse...

Eta que você escreve bem!

Janaina Amado disse...

Êh, Bernardo, mas ninguém descreve um ambiente, um acontecimento, tão bem como você, Beijo!

Lau Milesi disse...

Bernardo, estive na festa. Com esse texto, meu amigo, não há quem não viaje...
Sensacional!!Adorei!


E.T. Obrigada pela visita e por estar "só espiando". Hoje tem uma gororoba lá. Gostaria de saber se vc conhece mais alguma.
Bjs

imonizpacheco disse...

É, parece que além de Maria, nós também estamos de ressaca. Há algum tempo não participo de uma reunião tão legal. E voce, essemenino, conseguiu com sua verve de cronista, descrever exatamente o clima.

Nilson disse...

Eu tb, ainda de porre total!! Feliz de rever você e tanta gente, conhecer Jana e Ivonete. E de ler essa descrição carinhosa aqui. E Marcus é isso aí: o abajur ligado na tomada!!!

Palatus disse...

Meu Deus!Quando vou poder participar de uma dia desses? Me diz Dr.........
Que bom que foi difertido e deu para matar as saudades e reviver as emoções...emoções...emoções.
Um xero!

Lidi disse...

Eu me senti nesta festa! Um dia ainda irei em um encontro dos e-amigos! Abraço, Bernardo!

Eliana Mara Chiossi disse...

Eu te vi lá...
Fiquei tímida, mas foi bom!


Bjs

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas