domingo, 23 de agosto de 2009

Onde estou? II



Rua calçada. Cada pedra vinda de outro mundo, uma luta pra trazer. Meio fio alinhado, mais que madame soçaite. Depois daquela curva, ônibus e vans esperam quem não virá. Os postes são coqueiros sem frutos. Uma casa enorme, duas, três. No passeio, estacas esperam a hora de cercar mais uma propriedade. Mais uma. Carregadores descansam no meio do caminho: vieram de longe, vão pra mais longe ainda. Sobre o morro, uma luz espia e dá a pista.

Não (re)conheço onde estou.


foto de bernardo, em 08.09

3 comentários:

Meninha disse...

Só reconheci porque ao longe avistei o farol...

Chorik disse...

Eu menos ainda! rs

maria guimarães sampaio disse...

sei que não por aí... diz um poema dito por MB e diz um cachorro hoje lá no meu blog.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas