quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Pobre Camamu!


A VERDADE LIBERTA!

Com esta frase incutida na cabeça pela repetição incansável de meu saudoso amigo Fabrício Matogrosso, esperei por justiça desde 12 de maio de 2009. Naquele dia pedi ao próprio Fabrício que entregasse nas mãos da Prefeita, minha carta formal de exoneração do cargo de Secretário Municipal de Saúde e uma outra carta, esta nada formal e de duas páginas, onde expus os reais motivos de minha saída e, de certa forma, previ sua derrocada. A Prefeita tropeçou em sua arrogância, se embaralhou nas lianas do nepotismo, rodopiou e caiu. Como uma jaca mole. E, como uma jaca que cai, não tem como se agarrar de novo nos ramos da árvore que lhe pariu. Foram dois anos de um silêncio que, confesso, me incomodou, mas como acredito cada vez mais no Karma, na lei da ação e reação, vejo com verdadeiro distanciamento, na mais absoluta falta de sentimento de vingança, só de alivio, que a Prefeita de Camamu está apenas e tão somente, colhendo o que plantou, recebendo de volta o que deu. A Justiça sentenciou que, para se eleger, comprou votos. Seu lugar, portanto, não é na Prefeitura. O circulo se fechou.

foto de aleilson oliveira

7 comentários:

Anônimo disse...

a justiça só falta chegar em outra cidade...ali perto...você sabe onde!
Nana

Edu O. disse...

Precisamos disso em muitos lugares. Que bom que está começando.

Maria Muadiê disse...

triste Bahia,oh quão dessemelhante

Moniz Fiappo disse...

A justiça falta chegar a muitas e muitas cidades pelo Brasil. Que essa seja a primeira das que estão na fila para varrer pro inferno com os maus administradores.

Luciano Fraga disse...

Assim, quem planta virtude, colhe méritos, quem planta vento, jamais colherá calmaria, tão óbvio e real...Abraço.

Roberval disse...

Uhm...que noticia boa..nao sabia disso...!acabou-se o que era amargo..!

Marcus disse...

No dia em que vi a notícia lembrei imediatamente de você. Saltou da barca furada na hora mais do que certa.

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas