quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Recife


Caros dez leitores:

Vou aproveitar mais um episódio de Prisão de Ventre Mental e dar uma paradinha. Vou viajar e volto. Coisa rápida. Afinal, Maria foi pra Itália, Jana pra Austrália, que mal pode haver numa chegadinha até o Ricife? Tipo pronta-resposta: vou sexta, volto domingo. Sábado dia todim numa Jornada de Atualização em Ultrassonografia; à noite, Ricife antigo, acredito. Domingo é dia pra (re)ver Olinda, e só.

Ao menos o assunto de segunda estará garantido.

Té a volta.
foto de heraldo cunha, 2004.

8 comentários:

aeronauta disse...

Ai que sodade de Ricife. Tenho um passado forte, gravado nessas águas do rio capibaribe. Boa viagem!

Gerana Damulakis disse...

Foto linda, deu vontade de ir também.
Vá e volte.

maria guimarães sampaio disse...

Primaldo, se fores a um pequeno centro de compras de lembrancinhas (sei que não gostas)em Olinda, chamado São Salvador... lá tem um café cuja atendente se chama Simone. Imagine! é minha leitora...

Chorik disse...

Aproveite para dançar um frevo.

Maria Muadiê disse...

Boa viagem!

I.Moniz Pacheco disse...

"Hoje não tem dança,
não tem mais menina de trança,
nem cheiro de lança no ar.
Hoje não tem frevo
tem gente que passa com medo
e na praça feliz a cantar.
Me lembro tanto e
é tão grande a saudade
que até parece verdade
que o tempo ainda pode voltar..."
Aproveita Bernardo.
(Acredite, a palavra hoje é patinest).

Silvana Nunes .'. disse...

BOM TARDE.
Antes de mais nada estou aqui para agradecer a visita e seu comentário tão significativo para mim. Eu ando um pouco ausente, minha conexão anda péssima, lentíssima - perco muito tempo para abrir os blogs, os mais carregados eu até desisto. Como já havia dito, eu moro dentro de um pedacinho da mata Atlãntica e o sinal aqui é muito dificultoso. Além do mais, com toda essa chuva que tem caído tenho mantido o meu computador desligado por conta dos raios, já queimei uma televisão por causa disso, aqui não tem pára-raios ( agora vê, acostumada com cidade grande, achei que no mato poderia existir um pára-raio - só eu mesma). Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no mato.
Hoje eu trago uma história bem legal, por um acaso sabe onde fica a tal casa-da-mãe-joana? Então vá até lá conferir.
A medida do possível vou colocando as histórias, com a lentidão de sempre.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... agradece mais uma vez a sua visita esperando que volte sempre.
BOM DOMINGO.
Saudações Florestais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Edu O. disse...

oxe ta todo mundo de mala e cuia na mao!!!

xeudizer:

anotações livres, leves, soltas